“Imaginário, corpo e caneta: matriz afro-brasileira em Educação de Jovens e Adultos”, por Allan Santos da Rosa

 

A dissertação “Imaginário, corpo e caneta: matriz afro-brasileira em Educação de Jovens e Adultos” do arte-educador e mestre em educação, Allan Santos da Rosa, traz reflexão sobre a pesquisa e a prática da Educação de Jovens e Adultos (EJA) a partir da contribuição da cultura afro-brasileira.

Allan observou que esta cultura é marcada por sua oralidade e por seu pensamento mítico-simbólico, além de a ter relacionado a uma pedagogia sinestésica, de relevante teor simbólico, com a utilização de instrumentos musicais, vídeos, tecidos, esculturas, poemas e plantas.

 

Veja a dissertação “Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos”

 

Imagem: Divulgação

Envie seu comentário

Por favor, informe seu nome

Nome é obrigatório

Por favor, insira um email válido

Email obrigatório

Por favor, insira sua mensagem

Formação em Direitos Humanos © 2018 Todos os direitos reservados

Design de WPSHOWER