Ponto de Cultura
Espaço Periferia no Centro recebe músicos de festival internacional PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Ter, 08 de Maio de 2012 16:33

O Espaço Cultural Periferia no Centro, ponto de cultura mantido pela Ação Educativa, recebeu na sexta-feira (4/4) três músicos britânicos para uma apresentação aos educadores do programa Arte na Casa, que leva oficinas de arte e cultura para internos da Fundação da Casa, e para o público em geral.

Em um encontro marcado pela troca cultural, se apresentaram a cantora e flautista irlandesa Rioghnach Connolly, o gaulês Ellis Daves, no violão, e o inglês Mendi Singh, na tabla indiana (dupla de tambores de mão). A apresentação despertou a curiosidade dos educadores não só para as músicas, instrumentos e ritmos, mas também para a cultura de cada país.

Ao final da apresentação, foi feita uma grande roda de conversa para proporcionar a troca entre as culturas e os educadores da Fundação Casa também fizeram sua apresentação. Puxada pelo mestre Pedro Miguel, no berimbau, o espaço virou uma grande roda de capoeira.

Para Rioghnach, a apresentação foi “recompensadora”. “Temos muito respeito pelo trabalho que é feito com os jovens e pela organização. Não existe algo assim no Reino Unido. Se você trabalha com jovens encarcerados, você tenta controlar, vigiar, mas ninguém faz um trabalho para apresentar a arte e outras possibilidades para eles”, disse se referindo às oficinas do Arte na Casa.

Mendi Singh, que estava pela primeira vez no Brasil, se disse impressionado com a ligação dos brasileiros com a música. “A minha impressão é de que todo mundo tem uma ligação muito forte com a música, que as pessoas sempre reagem à música e interagem por meio dela”, disse. “A oportunidade foi incrível e emocionante. Acho que nunca vou esquecer que aconteceu aqui”, finalizou Ellis Daves.

A apresentação fez parte das atividades do Festival Espírito Mundo, que tem como objetivo criar uma rede de relações entre a cultura dos países participantes. Realizado pela primeira vez no Brasil, o festival trouxe mais de 60 artistas da França, Inglaterra, Suécia e Finlândia para se apresentarem nas cidades de São Paulo e Vitoria (ES).

A programação incluiu shows, oficinas, exposições fotográficas, graffiti, residências artísticas, mostra de artes plásticas e seminários, além de um coletivo de DJs britânicos. Em São Paulo, o festival foi realizado entre os dias 2 e 6 de maio, em diversos pontos de cultura da cidade, entre eles o Espaço Cultural Periferia no Centro, que também recebeu oficinas de DJ e Assobio em Lata.

Leia também:

Ação Educativa recebe atividades do Festival Espírito Mundo

Leia mais sobre o festival em www.espiritomundo.com.

Última atualização em Ter, 08 de Maio de 2012 16:39
 

Comentários  

 
0 #1 Alexandre Nunes Vian 31-05-2012 21:21
A educação é sem duvida o ponto do futuro culturall para educação mais humana, desta forma a alegria de saber armonizar a arte de cantar e incantar forma o conjunto culto selebrado artisticamente repreto de luzes e magia no sonho de muitos jovens que acreditam estarem perto da realeza das metas com história e informação. Os festivais são afirmação contínua desde já complementando um jogo de ci~encia e saber pela arte do rio culturaldos educandos e educadores, administrativos e pedagogos envolvido no futuro dever, formar cidadão com novo olhar de pedagogico.
Citar