Ação na Escola
Ação Educativa promove reflexão sobre a presença de ONGs na escola pública PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Qui, 15 de Dezembro de 2011 17:23

A Ação Educativa promoveu, no último dia 30 de novembro, em sua sede, uma roda de conversa para promover uma reflexão sobre a presença das organizações não governamentais na escola pública. A metodologia das rodas de conversa tem como objetivo deflagrar uma discussão que pode ser aprofundada posteriormente com outros encontros, como seminários e painéis.

“Nossa intenção é dar continuidade a este debate no próximo ano, trazendo para a roda outros entes não-estatais que desenvolvem projetos nas escolas públicas”, explica Thais Bernardes, assessora do projeto Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião – Nepso, do programa Ação na Escola, da Ação Educativa.

O Nepso esteve no encontro, junto com o projeto Indicadores da Qualidade da Educação – Indique –, e o projeto Jovens Agentes pelo Direito à Educação (JADE), outros projetos que a Ação Educativa promove junto a escolas da rede pública.

A roda tinha como objetivo a troca de experiências entre as organizações e contou com a provocação inicial sobre dois grandes temas relacionados à atuação das ONGs na escola. Um deles é a relação público-privado e outro, a relação com as políticas públicas.

A exposição inicial dos temas foi feita respectivamente por Sergio Haddad, coordenador de projetos estratégicos e Denise Carreira, coordenadora da área de Educação, ambos da Ação Educativa.

Para Thais, o encontro deu conta de seu principal objetivo. “Conseguimos refletir sobre a nossa presença nas escolas, como entramos lá, como pensamos o projeto em diálogo com a escola, nossos parceiros e públicos, os objetivos dos projetos e diálogos com as políticas educacionais”, diz.

A partir do relato de experiências das organizações presentes, foi possível mapear muitas semelhanças nas formas de atuação na escola, mas também algumas tensões. “Percebemos que temos muito em comum, mas especialmente que temos muito o quê trocar”. Para dar continuidade a essa troca que teve início no encontro, uma rede foi formada. “Nossa intenção é trocar informações e buscar desdobramentos deste debate”, explica Thais.

Ampliando

Além da rede, as organizações fizeram planos de sistematizar as discussões para dar publicidade a elas, e de convidar outros setores para aumentar a roda no próximo ano. “Queremos chamar professores, alunos, gestores, membros da academia e fundações e institutos empresariais para dar prosseguimento ao debate”, conta Thais.

Ela recorda que, em 2002, a Ação Educativa realizou uma primeira discussão sobre este tema, e de lá pra cá, o cenário mudou muito e muitos outros sujeitos, além das ONGs, estão presentes nas escolas públicas. O encontro foi uma espécie de “pontapé inicial” para este debate mais amplo, que deve acontecer ao longo de 2012.

Além da Ação Educativa, participaram do encontro Cenpec, Ecos, Cedhep Campo Limpo, Instituto Avisa Lá, Instituto Paulo Freire e 5 elementos.

 

Comentários  

 
0 #1 Eduardo dos Santos 31-08-2012 13:08
Tenho um projeto voluntário familiar onde eu e minha esposa e filhos usamos o lúdico como ferramenta e levamos um pouco da arte, música, pintura facial, teatro, contação de histórias e linguagem do palhaço. Sugiro que para os próximos debates possam contar com os voluntários. Tem muita gente boa que agem no anonimato. Valeu! att. Eduardo dos Santos (Palhaço Dudu de Deus
Citar